CCBSA

CCBSA

Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas

Cursos


Graduação


Bacharelado em Arquivologia – UEPB

Turno: Diurno/Noturno

Duração: Diurno – Mínimo: 4  anos / Máximo: 6 anos

Noturno – Mínimo: 4 anos e 6 meses/ Máximo: 7 anos

Coordenadora: Esmeralda Porfirio de Sales

Coordenador adjunto: Henrique Elias Cabral França

Secretários:

  • Daniela Duarte Dantas
  • Keliana Menezes
  • Marcelino Ferreira de Jesus
  • Rousier Paulino

Arquivistas: Hilza Cavalcante e Rafael Melo.

Endereço: Rua Horácio Trajano de Oliveira, S/N, Cristo Redentor, João Pessoa-PB, Cep 58071-160

Telefone: (83) 3223-1128 e (83) 3223-1138 / Ramal: 204

Email: arquivologia.uepb.jp@gmail.com / Site: http://arquivologiauepb.com.br/

Modalidade: Bacharelado

Regime acadêmico: Seriado semestral

Criação: RESOLUÇÃO/UEPB/CONSUNI/010/2006

Criado em 2006, o curso de Arquivologia da Universidade Estadual da Paraíba foi pioneiro na Paraíba, segundo curso da área no Nordeste e desde a sua fundação tem se fortalecido tanto com relação à estrutura física, quanto no que diz respeito à qualificação do seu corpo docente.
Com um perfil consolidado, o curso tem desempenhado o importante papel de ampliar a produção de conhecimento científico em Arquivologia e formar profissionais capazes de conhecer, intervir, implementar, desenvolver, inovar e analisar processos arquivísticos, elaborando programas de gestão da informação.
Integrado ao Campus V – Ministro Alcides Carneiro da UEPB, localizado na cidade de João Pessoa – PB, o curso de Arquivologia tem rompido os limites do Estado e se propagado para todo o país por meio de seus eventos, como é caso do Fórum Internacional de Arquivologia, que traz palestrantes renomados de Universidades estrangeiras e reúne participantes de todo o país.
O corpo docente do Bacharelado em Arquivologia, composto em sua grande maioria por professores doutores e mestres, também tem dado visibilidade à produção do curso com trabalhos apresentados em eventos internacionais e publicações em revistas científicas conceituadas.

Ensino, Pesquisa e Extensão

Considerando os três focos que devem compor uma universidade de qualidade, que são Ensino, Pesquisa e Extensão, o curso de Arquivologia da UEPB tem se dedicado ao apoio e promoção de atividades nesse âmbito.
Uma possibilidade de crescimento e aprendizado para o aluno, que vai além do ensino ofertado em sala de aula diz respeito ao Programa de Monitoria. Grande parte das disciplinas do curso de Arquivologia conta com monitores bolsistas que acompanham o professor em sala de aula e auxiliam os colegas na resolução de exercícios. Além de ser importante para o desenvolvimento do estudante, esta atividade pode fazer a diferença para quem pretende seguir a carreira acadêmica.
Com relação à área de Pesquisa tal graduação tem se destacado pelos números de atividades desenvolvidas. O curso já teve vários projetos selecionados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) através dos editais do Programa de Incentivo à Pós-Graduação e Pesquisa (PROPESQ) e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC).
A aprovação destes projetos é o reconhecimento de um trabalho que vem sendo feito desde a fundação do Bacharelado em Arquivologia que conta dois grupos de pesquisa cadastrados no CNPq e certificados pela UEPB.
Na área de Extensão, o curso conta com programas e projetos cadastrados na Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da UEPB, todos com alunos bolsistas e voluntários envolvidos.

Formação profissional

Além do envolvimento em grupos de pesquisa, projetos de extensão e programas de monitoria, o aluno de Arquivologia da UEPB, tem contato com a prática profissional desde cedo. O curso conta com parcerias com instituições públicas e privadas que possibilitam a participação da maioria dos alunos a partir do 6° período em programas de estágio.
Por outro lado muitos destes estudantes têm obtido posições de destaque em vários concursos públicos, a exemplo das seleções da UFPB, UFPE, UFCG, Ministério da Saúde, UFRN, MPU entre outras. Grande parte destes alunos é aprovada antes mesmo de concluir a graduação.
Tal índice de aprovação em seleções ocorre, em parte, pelo esforço do corpo docente em possibilitar uma boa formação aos alunos. Soma-se a isso a estrutura do curso que conta, atualmente, com quatro laboratórios: de Práticas Integradas em Arquivologia, Informática, Tecnologia da Informação Aplicado a Sistemas Arquivísticos e Conservação e Preservação de Documentos, que atendem a todas as disciplinas do curso.
Todos estes espaços são equipados com aparelhos de última geração, arquivos deslizantes, material para higienização, análise documentária, avaliação, seleção e reprodução de documentos.
Deste modo o Bacharelado em Arquivologia da UEPB busca cumprir a missão do curso que é formar profissionais éticos e competentes na área de Arquivologia, comprometidos com a transformação e a valorização do ser humano para o exercício da cidadania.

Campo de atuação profissional

Atuar em instituições de arquivos públicos, privados, históricos, técnicos ou de forma autônoma a partir da abertura de empresas de consultoria e assessoramento em serviços gestão de arquivos/documentos. O campo de atuação aberto ao arquivista na atualidade é praticamente inesgotável, se consideradas as necessidades de informação decorrentes das complexas relações organizacionais no âmbito público e privado.
Em princípio o arquivista encontra espaço privilegiado na administração pública,  em serviços e instituições arquivísticas no âmbito dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, na administração pública federal, estadual e municipal.
Na esfera privada estas possibilidades de trabalho são muito amplas, incluindo empresas em todas as áreas do comércio e da indústria; universidades e escolas privadas; associações profissionais e sindicatos; associações recreativas e clubes; associações esportivas; partidos políticos; entidades religiosas; escritórios de advocacia; escritórios de arquitetura e engenharia; hospitais, clínicas e consultórios médicos. Por outro lado, centros de documentação, centros de memória, centros de informação também oferecem campo de trabalho ao arquivista.

Docentes:

Mestre em Administração. Especialista em Administração de Recursos Humanos.  Administradora. Vivência em planejamento, coordenação e implementação de gestão de/por projetos e processos e no uso do Modelo de Excelência em Gestão. Área de concentração: Administração Judiciária, Gestão de Pessoas, Gestão Estratégica, Planejamento Estratégico e Qualidade.

 

 

Mestre em Ciência da Informação. Especialista em Gestão de Arquivos Públicos e Privados. Graduada em História e em Arquivologia. Tem experiência na área de História e Arquivologia, com ênfase em Memória, Patrimônio e Gestão da Informação.

 

 

Doutor em Educação. Mestre em Direito. Graduado em Direito. Possui experiência na área de Direito, com ênfase em ORDEM JURÍDICA CONSTITUCIONAL. Também atua nas áreas de Ensino Jurídico, Cultura Jurídica, formação de professores para as Ciências Jurídicas, radiojornalismo político e esportivo, propaganda e publicidade.

 

 

Mestre em Informática. Graduado em Ciência da Computação. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: informática básica, multidimensional approach, avaliação de usabilidade, multimodal user interface e metodologia híbrida.

 

 

Doutor e Mestre em Engenharia Elétrica e de Computação. Graduado em Física e em Sistemas de Telecomunicações. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Ensino de Física. Demais áreas de interesse: Antenas de Microfita, Antenas DRA, Antenas Miniaturizadas aplicadas a Sistemas de comunicação Sem Fio, Superfícies Seletivas em Frequências, entre outros.

 

 

Doutora em Linguística. Mestre em Linguagem e Ensino. Graduação em Letras. Tem experiência na área de Linguística, Tecnologias Educacionais e Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Linguagem e Arquivologia, tecnologias educacionais, gêneros acadêmicos, transposição didática, jornalismo, planejamento de campanha, letramento.

 

 

Mestre em Ciência da Informação. Especialista em Organização de arquivos e em Direito Administrativo e Gestão Pública. Graduada em Biblioteconomia. Possui experiências nas áreas de Gestão Documental, Gestão Pública, Políticas Arquivísticas e Formação Profissional.

 

 

Mestre em Ciência da Informação. Especialista em Criação Publicitária. Graduação em Comunicação Social – Jornalismo. Coordena projetos de extensão ligados à memória e cidadania e à análise e produção de audiovisual. Possui experiência em criação, roteirização e produção de vídeo documentário, produção em TV e redação publicitária.

 

 

Doutora, Mestre e Bacharel em Administração. Possui experiência de mais de 20 anos em atividades de Gestão e Consultoria na área de Administração e Administração Pública, atuando nos seguintes temas: Empreendedorismo, Gestão Pública e Ciência da Informação.

 

 

Doutor em Documentação. Mestre em Ciência da Informação. Graduação em História. Pesquisador na área de Ciência da Informação com ênfase em Arquivologia, atuando nos seguintes temas: arquivos, sistemas de arquivos, gestão documental, administração em Arquivística, arquivos coloniais, documentos digitais e epistemologia arquivística e pesquisador em História.

 

  • Leonardo Pereira de Assis – leonardop.assis@hotmail.com
  • Manuela Eugênio Maia – manuelamaia@gmail.com

Doutoranda em Ciência da Informação. Mestre em Educação. Graduação em Pedagogia e em Biblioteconomia. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Gestão da informação e de biblioteca e Descrição arquivística atuando nos seguintes temas: planejamento bibliotecário, representação da informação, acervo de cordel, indexação e metodologia científica.

 

  • Marcos Cavalcanti de Albuquerque – marcoscavalcanti@tjpb.gov.br
  • Ramsés Nunes e Silva – ramsesnunes@gmail.com

Pós-doutor em História da Educação. Doutor e Mestre em História da Educação. Graduado em História. Suas pesquisas estão relacionadas aos seguintes temas: História da Educação, História da Paraíba, História da Educação Confessional, História das Instituições asilares, estudos sobre a secularização educacional, arquivos histórico-escolares, entre outros.

 

 

Mestre em Ciência da Informação. Especialista em Arquivos e Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural Integrado. Graduado em Arquivologia. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: arquivologia, arquivos, sistemas de arquivos, protocolo e documentos digitais.

 

 

Doutora em Educação. Mestre em Psicologia Social. Graduada em Formação para Psicólogo e em Licenciatura Plena em Psicologia. Tem experiência em ensino e pesquisa em Psicologia, Educação, Metodologia Científica, Comunicação, Arquivologia e Saúde Coletiva.

Bacharelado em Ciências Biológicas


dscf2008

Turno: Diurno

Duração: Mínimo: 4 anos / Máximo: 6 anos

Coordenador:  Cleber Ibraim Salimon

Coordenador adjunto: Vancarder Brito Sousa

Secretário:

  • Alison da Silva

Técnicos de laboratórios:

  • Alena Sousa de Melo
  • Amanda Lucena Coutinho
  • André Pordeus Lucena
  • André Gustavo Pontes
  • Juliana Nunes Wanderlei
  • Liliane de Jesus Silva
  • Marinalva Araújo Pereira
  • Patrícia Keytth Rocha
  • Renale Miranda Soares
  • Tatiana Ponce de Leon

Farmacêutica: Michelle de Oliveira Pedroso

Endereço: Rua Horácio Trajano de Oliveira, S/N, Cristo Redentor, João Pessoa-PB, Cep 58071-160

Telefone: (83) 3223-1128 e (83) 3223-1138 / Ramal: 201

Email: coordenacaobio@ccbsa.uepb.edu.br

Curso: Ciências Biológicas

Modalidade: Bacharelado

Ênfases: Ecologia e Biologia Geral

Regime Acadêmico: Seriado semestral

Criação: RESOLUÇÃO UEPB/CONSUNI 08/2006, COM O NOME DE BACHARELADO EM BIOLOGIA; Alteração do Nome: RESOLUÇÃO UEPB/CONSUNI 042/2007, para o nome de CIÊNCIAS BIOLÓGICAS;

Com ênfase em Ecologia e Biologia Geral, o curso de Ciências Biológicas do Campus V, busca formar profissionais com sólidos conhecimentos em Biologia, preparados para conhecer a diversidade biológica e seus níveis de organização para a construção de uma visão ampla dos diversos aspectos dos problemas ambientais e suas implicações sociais. A estrutura atual do curso conta com 11 laboratórios: didático, de Anatomia, Ictiologia, Sistemática de Collembola, Síntese e Vetorização de Moléculas, Ecologia, Botânica, Ecofisiologia Animal (LEFA), Laboratório de Biologia Molecular (LBM), Laboratório de Bioacústica e Comportamento de Peixes (BCOMP) e Laboratório de Estudos Sociológicos (LABES).

Formação profissional

O bacharel em Ciências Biológicas da UEPB está habilitado para atuar em instituições de pesquisa, na indústria, em empresas de consultoria ambiental, turismo ecológico, em organizações não-governamentais entre outros setores.  Neste sentido são desenvolvidas várias parcerias com instituições públicas do Estado que possibilitam ao aluno o estágio na área.
Atualmente o curso conta com projetos de extensão aprovados pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, além de projetos de pesquisa aprovados pelo  CNPq,  PROPESQ e  PIBIC. Grande parte destes projetos gera um impacto social com um retorno à comunidade, como é o caso dos estudos na área de ecologia humana e educação ambiental.
Além disso, os graduados em Ciências Biológicas da UEPB têm se destacado em seleções de pós-graduação por todo o país, saindo da graduação com uma formação sólida e maturidade acadêmica para seguir tais cursos. E alguns destes alunos também têm obtido êxito em concursos públicos de órgão locais e nacionais, ficando inclusive nas primeiras colocações.
O corpo docente do Bacharelado, composto em sua grande maioria por professores doutores e mestres, também tem dado visibilidade à produção do curso com trabalhos apresentados em eventos internacionais e publicações em revistas científicas conceituadas.

Campo de atuação

No Brasil, a profissão do biólogo foi regulamentada em 3 de setembro de 1979, através da Lei 6.684. O Bacharel em Ciências Biológicas pode atuar em:
Instituições de pesquisa, como jardins botânicos, museus, reservas e parques ecológicos;
Na indústria, integrando ou coordenando laboratórios ligados às áreas de biotecnologia, biologia molecular, saúde e controle de qualidade;
Atuar em empresas de consultoria ambiental, turismo ecológico e em organizações não-governamentais (ONGs).
O biólogo pode trabalhar ainda na criação e planejamento de reservas florestais, na orientação da descarga de dejetos industriais, no planejamento urbano, no desenvolvimento de atividades educacionais, na elaboração e execução de projetos de manejo ambiental, na conservação da biodiversidade, na organização de equipes multidisciplinares, na pesquisa e no uso dos recursos naturais renováveis, entre outros, sendo, portanto, necessário onde houver desenvolvimento. Pode desenvolver atividades de recuperação de áreas degradadas, gerenciamento de ecossistemas, controle biológico de pragas agrícolas e urbanas, controle microbiológico de águas, atuarem na educação ambiental, etnoecologia e ecoturismo.

Professores:

Doutora em Zoologia. Graduada em Ciências Biológicas. Responsável pelo Laboratório de Ictiologia da UEPB, com temas em desenvolvimento cujo enfoque é investigar a variabilidade ambiental influencia a autoecologia da ictiofauna, a estrutura da comunidade e a dinâmica dos ecossistemas estuarinos.

 

 

Doutorado e mestre em Genética. Especialista em Análises Clínicas. Graduada em Ciências Biológicas. Tem experiência nas áreas de Genética de microrganismos, identificação Molecular de Bactérias Lácticas, atividade antimicrobiana de Fungos Filamentosos endofíticos isolados de folhas de Mangue, entre outras.

 

 

Doutor em Energia Nuclear na Agricultura. Mestre em Botânica. Graduado em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Ecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: amazônia ocidental, mudança de uso da terra, carbono, ecologia de ecossistemas, estrutura e dinâmica de comunidades vegetais e sucessão secundária.

 

 

Doutora e Mestre em Genética molecular e de micro-organismos. Graduada em Ciências Biológicas. Especialista em Bactérias Lácticas. Tem experiência com citogenética, evolução, imunogenética e biologia molecular.

 

 

Doutor em Entomologia. Mestre em Biologia Animal. Graduado em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Taxonomia, Biologia de conservação, filogenia de Collembola e filogenética.

Doutor em Ciências da Saúde. Mestre em Ciências Farmacêuticas. Graduado em Farmácia com habilitação em Indústria Farmacêutica. Tem experiência na área de Farmácia com ênfase no estudo de novos sistemas de liberação de fármacos. Pesquisa nanosistemas/microsistemas para liberação de fármacos e o uso de novos polímeros em sistemas farmacêuticos.

 

Doutor e Mestre em Ciências Biológicas. Graduado em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase na estrutura e funcionamento de comunidades de rios intermitentes, regiões áridas, isótopos estaveis e ecologia trófica.

Doutora e Mestre em Biologia Celular e Molecular. Graduada em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de fisiologia animal comparada, atuando principalmente com os seguintes temas: fisiologia celular, transportadores iônicos, utilizando moluscos e crustáceos como modelos experimentais.

 

 

Doutor e Mestre em Botânica. Graduado em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Botânica e Ecologia Aplicada, com ênfase em Ecossistemas e Comunidades Aquáticas.

 

 

Doutor em Ciências Biológicas. Mestre em Ciências Farmacêuticas. Graduado como Farmacêutico Industrial. Atua na área da Química Medicinal em assuntos relacionados com a síntese e o planejamento de novos fármacos.

 

 

Doutor e Mestre em Metereologia. Graduado em Metereologia. Tem experiência com Climatologia, Geoprocessamento, Sensoriamento remoto, mudanças climáticas, consumo hídrico de culturas e sensoriamento remoto aplicado à agricultura e clima urbano.

 

 

Doutor e Mestre em Filosofia. Graduado em Filosofia e Administração de Empresas. Pesquisa Ética, subjetividade, transcendência, autonomia, liberdade, alteridade, pluralismo ético e justiça social.

 

 

Doutora em Educação. Mestre e Graduada em Serviço Social. Tem experiência com planejamento de coleta seletiva e inclusão/formação de catadores.

 

 

 

Doutor e Mestre em Ciências Biológicas. Graduado em Ciências Biológicas. Atua na área de Morfologia: anatomia humana, histologia geral e embriologia geral.

  • Martha Simone Cavalcanti Amorim Soares – marthasimone@uol.com.br

Doutora em Ciências Jurídicas e Sociais. Especialista em Geografia Humana. Geógrafa e Bacharel em Direito. Pesquisa Legislação Ambiental, Gestão Ambiental, Educação Ambiental, Planejamento e Manejo de Unidades de Conservação.

Mestre em em Biometria e Estatística Aplicada. Graduada em Estatística. Atua nas linhas de pesquisa: Probabilidade e Estatística; Regressão e Correlação; Matemática; Pesquisa Operacional.

Doutor em Botânica. Mestre em Biologia Vegetal. Graduado em Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em florística, taxonomia, ecologia e biogeografia.

Doutora e Mestre em Zoologia. Graduada em Ciências Biológicas. Tem experiência com Bioecologia, bioacústica de peixes marinhos, ecologia comportamental, conservação biológica e cavalos-marinhos.

 

 

Doutor e Mestre em Sociologia. Graduado em Ciências Sociais. Tem experiência na área de Sociologia Urbana, tendo atuado com os seguintes temas: modernidade e pós-modernidade, requalificação/revitalização urbana e moradia irregular, ecologia humana e antropologia.

 

Bacharelado em Relações Internacionais


Turno: Diurno / Noturno

Duração: Diurno – Mínimo: 4  anos / Máximo: 6 anos

Noturno – Mínimo: 4 anos e 6 meses/ Máximo: 7 anos

Coordenador: Filipe Reis Melo

Coordenadora adjunta: Ana Paula Maielo

Secretários:

  • Nathalya Reis da Costa
  • Niedja Melo
  • Sandra Maranhão

Endereço: Rua Horácio Trajano de Oliveira, S/N, Cristo Redentor, João Pessoa-PB, Cep 58071-160.

Telefone: (83) 3223-1128 e (83) 3223-1138 / Ramal: 205

Email: secri@ccbsa.uepb.edu.br

Modalidade: Bacharelado

Regime Acadêmico: Seriado semestral

Criação: RESOLUÇÃO/UEPB/CONSUNI/09/2006

Criado em 2006, através da resolução UEPB/CONSUNI/09/2006 o curso de Relações Internacionais foi o primeiro da área na Paraíba e um dos pioneiros do Norte e Nordeste, surgindo como uma área promissora e tendo como foco principal de formação a área de Política Internacional. A graduação tem um caráter multidisciplinar com a abordagem de temas nas áreas de Economia, Direito, Ciência Política, Globalização, Cultural, Segurança, entre outros.
Na busca por oferecer um ensino dinâmico e atual várias atividade acadêmicas e de pesquisa vêm sendo desenvolvidas com o intuito de melhor preparar o estudante para o mercado de trabalho e vida acadêmica.

O curso também tem se afirmado na organização de eventos regionais, nacionais e internacionais a exemplo do Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Relações Internacionais (SIEPRI). Este seminário está na quarta edição e é o resultado natural da evolução dos seminários anteriores. Em 2008 e 2009 o curso organizou o Seminário Paraibano de Estudos e Pesquisas em Relações Internacionais (SEPESPRI). Em 2010 o seminário tomou uma amplitude nacional, passando a chamar-se Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas em Relações Internacionais (SENESPRI). Pela dimensão e importância crescente que os seminários anteriores tomaram, percebeu-se que já havia condições para se organizar um evento de âmbito internacional. Em 2011 o SIEPRI foi organizado pelo mestrado e pela graduação em Relações Internacionais. Essa sequência de seminários na área de Relações Internacionais, além de contribuir para a consolidação e para o reconhecimento nacional do Curso de Graduação e do Programa de Mestrado em Relações Internacionais da UEPB, tem fomentado o intercâmbio entre docentes e discentes da UEPB e de outras instituições nacionais e estrangeiras.

Formação profissional

Os profissionais formados em Relações Internacionais estão aptos a trabalhar em instituições públicas, privadas e do terceiro setor, assim como no assessoramento de atividades parlamentares e de partidos políticos que demandem percepções amplas e aprofundadas da realidade internacional e de conhecimentos específicos sobre os processos, mecanismos e práticas inerentes à dinâmica das relações entre os povos e nações.
Além disso, muitos graduados em Relações Internacionais da UEPB têm sido aprovados em cursos de pós-graduação em todo o Brasil, e optam por seguir uma carreira acadêmica, principalmente após a criação da pós-graduação em Relações Internacionais da Instituição.
Com professores doutores e de referência a graduação tem desenvolvido projetos de pesquisa e extensão em diversas áreas do conhecimento, atividades que somadas às publicações de caráter científico e eventos com abrangência nacional e internacional têm projetado o curso por todo o país.
Durante o bacharelado o aluno de Relações Internacionais da UEPB tem oportunidades de aprofundar o conhecimento adquirido em sala de aula, seja através do intercâmbio internacional que já favoreceu alguns alunos do curso ou com as práticas em simulações de organizações internacionais a exemplo do Modelo Universitário de Diplomacia – Mundi, no qual alunos e professores simulam reuniões de diversas organizações internacionais como a ONU (Organização das Nações Unidas) e a OEA (Organização dos Estados Americanos) nas quais são discutidas temáticas diretamente ligadas à cena internacional atual.

Campo de atuação

O bacharel em Relações Internacionais estará habilitado a trabalhar em órgãos do governo, empresas privadas, organizações internacionais, associações de classe, bem como em organizações do terceiro setor.
Nos órgãos do governo, o analista de Relações Internacionais pode ser solicitado para elaborar análises de conjuntura, formular políticas, negociar convênios e tratados internacionais e desenvolver estratégias de negociações em setores que demandem intercambio internacional, tanto em instituições dos governos municipais, estaduais ou federais, de universidades, de órgãos culturais e de fomento ao desenvolvimento cientifico e tecnológico, sem esquecer a formação especifica para o ingresso na carreira diplomática.
Nas empresas privadas, atuará em empresas de todos os setores, como agronegócios, indústrias e serviços, em bancos e instituições financeiras, desempenhando tarefas de comunicação e consultoria. Pode também prestar consultoria autônoma, principalmente para empresas com atuação internacional.
Pode tornar-se funcionário de entidades supranacionais como, por exemplo, a Organização das Nações Unidas (ONU), a Organização dos Estados Americanos (OEA) O Banco Mundial e o Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).
Juntamente às Associações de Classe, patronais ou trabalhistas, pode desenvolver trabalhos de formação de novos mercados, dar suporte ou participar de negociações, elaborar projeções sobre novos mercados, etc. Dentro do Terceiro Setor, o profissional pode atuar na tomada de decisões das decisões de organizações não-governamentais, nacionais ou internacionais.
Pode ainda assessorar atividades parlamentares e de partidos políticos.

Professores efetivos:

Doutor em Ciências Sociais/Relações Internacionais. Mestre em Economia Política. Especialista em Relações Internacionais e Cooperação Sul-Sul e Triangular na América Latina. Graduado em Ciências Econômicas. Tem experiência com pesquisas relacionadas à política internacional e política externa, análise de política externa e desenvolvimento comparado. Estuda a Ásia e principalmente a China.

 

 

Doutora em Ciências Sociais. Mestre em Direito Internacional. Especialista em Direito Internacional Público. Tem experiência com Organizações Internacionais, Direitos Humanos e Humanitário, deslocados ambientais, migrantes e refugiados.

 

 

Doutora em Ciência Política. Mestre e Graduada em Relações Internacionais. Tem experiência com os seguintes temas: Conflito Palestino-Israelense, Política e Sociedade nos Territórios Palestinos ocupados, Autoritarismo e Reforma política no mundo Árabe, Segurança Internacional e Teoria das Relações Internacionais.

Doutor e Mestre em Ciência Política. Graduado em Relações Internacionais. Tem experiência com Filosofia, Teoria Política e de Relações Internacionais. Pesquisa Política Externa Brasileira analisando a atuação do Brasil no Conselho de Segurança da ONU.

 

 

Doutora em Ciências Sociais. Mestre em Ciência Política. Graduada em Direito. Pesquisa Teoria Política e Política Internacional Comparada, Instituições/Organizações Internacionais e Política Externa dos Estados Unidos.

 

 

Doutor e Mestre em Ciência Política. Graduado em Relações Internacionais. Estuda Teorias de Segurança Internacional, com foco para as teorias de securitização, defesa da região amazônica do Brasil e as Relações Brasil-Colômbia.

 

 

Doutor em Ciência Política e Sociologia. Especialista em Estudos Europeus. Graduado em Ciências Econômicas. Pesquisa Terras Raras, Economia Política Internacional, Mídia e Relações Internacionais e Terrorismo.

 

 

Doutora em Direito Internacional e Europeu. Mestre em Ciências Jurídicas. Graduada em Direito. Dedica-se particularmente ao estudo da proteção internacional dos Direitos Humanos e dos efeitos da jurisprudência das Cortes Internacionais.

 

 

Mestre em Letras. Especialista em Linguística aplicada a Língua portuguesa. Graduada em Letras – Língua Inglesa. Tem experiência com linguística, atuando principalmente com Communicative Teaching, Methods e School Curriculum.

Doutorado em Direito Internacional. Mestre em Ciências Jurídicas. Especialista em Direito Civil. Graduada em Direito. Tem experiência na área do Direito, com ênfase em Direito Constitucional, Direito Internacional Privado e Consular.

 

 

Doutora em Sociologia. Mestre em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido. Graduada em Letras. Tem experiência com Desenvolvimento sustentável, políticas de acesso à água e proteção do Meio Ambiente.

Doutora em Linguística. Mestre em Letras Clássicas. Especialista em Língua Inglesa e Literatura Anglo-Americana. Graduada em Letras. Atua nas linhas de pesquisa: Relações Internacionais, Religião e Literatura e Relações Ocidente e Oriente.

 

 

Doutor e Mestre em Ciência Política. Especialista em História das Relações Internacionais e Planejamento de Defesa e Administração de Recursos. Graduado em Ciências Militares. Pesquisa paz, conflitos e estudos críticos de segurança. Trabalha construção de paz através da arte, do teatro, Clown, mímica e manipulação de bonecos.

 

 

Doutora e Mestre em Relações Internacionais. Graduada em Direito. Áreas de Interesse: Mediação internacional, operações de paz, construção da paz e ONU.

 

 

 

Doutora e Mestre em Antropologia Social. Graduada em Comunicação Social e Jornalismo. Tem experiência nas áreas de comunicação, Antropologia e Relações Internacionais. Pesquisa cooperação acadêmica internacional, cultura e comunicação na América Latina e relações Brasil-Timor Leste.

 

 

 

Professores substitutos

Doutoranda em Ciência Política. Mestre em Relações Internacionais. Graduada em Direito. Pesquisa Meio Ambiente e Relações Internacionais e Integração Energética na América do Sul.

 

 

Doutoranda em Ciência Política. Mestre em Relações Internacionais. Graduada em Relações Internacionais e Administração de Empresas. Pesquisa Organizações Internacionais e mediação de conflitos na África.

 

 

Doutor e Mestre em Linguística. Graduado em Letras. Estuda Teoria e Análise Linguística na linha de pesquisa Linguagem, Sentindo e Cognição.

Doutorando em Ciência Política. Mestre em Relações Internacionais. Graduado em História e Relações Internacionais. Desenvolve pesquisa no campo de estudo das Teorias de Relações Internacionais, Política Internacional e Segurança Internacional.

Mestre e Graduada em Relações Internacionais. Especialista em Educação e Práticas Pedagógicas Interativas. Pesquisa Deslocados Ambientais, migrantes e refugiados, Direitos Humanos e Educação Brasileira.

Doutorando em Ciências Políticas. Mestre e Graduado em Relações Internacionais. Estuda Política Externa Brasileira e Segurança Internacional, especialmente a atuação do Brasil no Conselho de Segurança da ONU.

Empresa Júnior

ELEVEN JR. – A empresa júnior do curso de Relações Internacionais da UEPB desenvolve serviços de consultoria internacional, captação de recursos, assessoria em missões diplomáticas e comerciais, organização de eventos, organização de cursos e palestras com temáticas internacionais.

Presidente Executiva –  Karina Patrícia Cordeiro de Oliveira

Presidente Organizacional – Arllyn Luandrew Farias de Mello

E-mail: elevenjr.comercial@gmail.com

Facebook/Instagram: @elevenjr

Telefone: (83) 99856-8560 (Arllyn)

 

Pós-Graduação

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais


Endereço: Rua Horácio Trajano de Oliveira, S/N, Cristo Redentor. CEP: 58071-160, João Pessoa – PB.

Telefone: (83) 3244-2555

E-mail: secmestradori@uepb.edu.br

Site: http://pos-graduacao.uepb.edu.br/ppgri/

Coordenadores: Alexandre César Cunha Leite (coordenador)

Cristina Carvalho Pacheco (coordenadora adjunta)

Secretários: Maria Ellem Souza Maciel /
Valentim Heleno Santos Rodrigues

O Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em nível de mestrado, está localizado em João Pessoa e foi recomendado pela CAPES em dezembro de 2007, iniciando suas atividades acadêmicas em março de 2009.
O PPGRI é o primeiro programa de pós-graduação em Relações Internacionais das regiões Norte e Nordeste, recrutando alunos oriundos tanto do interior do estado, como também de estados vizinhos.
O PPGRI conta com a cooperação de docentes da Universidade de Brasília (UnB), que participam do Programa compartilhando de disciplinas, co-orientando dissertações e ajudando a consolidar as linhas de pesquisa.