CCEA

CCEA

Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas

Projeto que utiliza karatê como instrumento de inclusão social supera marca de 100 títulos em competições

11 de abril de 2019

O projeto de extensão “Utilização do karatê como instrumento de inclusão social”, desenvolvido pelo Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas (CCEA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Patos, continua obtendo conquistas e revelando futuros atletas. Em 12 anos de funcionamento, a equipe atendida pelo projeto já conquistou mais de 100 títulos em competições estaduais, regionais e até nacionais. O mais recente título foi conquistado pelo estudante João Victor da Silva Avelino, de 15 anos, na cidade de Natal (RN).

Aluno do projeto desde a sua criação, em 2007, João Victor foi destaque na Vila Fight Championship, na categoria 61 quilos. Na luta de nove minutos, o atleta da UEPB, faixa marrom, dominou três rounds e teve unanimidade na avaliação dos jurados. “Ficamos felizes pelo resultado. João Victor é aluno do nosso projeto que faz do karatê uma prática de inclusão social. Temos vários jovens esforçados e todos com muito potencial, superando dificuldades a cada dia pelo esporte”, destacou Odilon Avelino.

O projeto de karatê na UEPB tem sido responsável pela prática esportiva de forma gratuita em Patos e funciona dentro do CCEA. As aulas são ministradas nas segundas, quartas e sextas, às 20h, e nas segundas e sextas, às 9h, além de sábados e domingos, às 17h, no Centro de Vivência do Câmpus VII. Participam do projeto crianças, adolescentes, jovens e adultos de ambos os sexos. O grupo é heterogêneo e conta com a participação de professores, policiais, educadores físicos, seguranças, estudantes universitários, estudantes do ensino fundamental e médio, trabalhadores de diversas áreas e pessoas da sociedade em geral. “A ideia é integrar e incluir a comunidade”, frisa professor Odilon.

Atualmente, o projeto tem mais de 70 alunos matriculados de todas as graduações (faixa branca, amarela, vermelha, laranja, verde, roxa, marrom e preta). Funcionando graças ao apoio do CCEA e da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), a iniciativa acolhe alunos das cidades de Patos, São Mamede, Soledade e Diamante. Os exames de faixa são realizados a cada seis meses pela Federação Paraibana de Karatê.

Os responsáveis pelas aulas são os professores Odilon Avelino (Faixa preta 3º DAN e professor do Curso de Administração de Patos), Édipo Abner (primeiro aluno faixa preta resultante do projeto) e pelo aluno de Computação, Marcos Guimarães. A supervisão é feita pelo professor Sensei Jurandir Olímpio (faixa preta 5º DAN). A pretensão do professor Odilon Avelino é expandir o projeto para outras áreas da cidade, através das escolas, e para outras cidades do Sertão.

Texto: Severino Lopes

O post Projeto que utiliza karatê como instrumento de inclusão social supera marca de 100 títulos em competições apareceu primeiro em UEPB.