CCBSA

CCBSA

Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas

Servidores do CCBSA realizam mobilização alusiva ao outubro rosa para alertar sobre o câncer de mama

8 de outubro de 2019

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como forma de alertar a comunidade acadêmica sobre a importância dos cuidados para prevenção do câncer de mama e aderir à campanha “Outubro Rosa”, os servidores do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas (CCBSA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), resolveram desenvolver suas atividades com vestimentas cor de rosa nesta terça-feira (8). A perspectiva é que sejam realizadas outras mobilizações com esse caráter até o fim do mês como forma de chamar a atenção para essa doença que é a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência, como o exame clínico e o autoexame, a mamografia e a ultrassonografia.

Normalmente, o câncer de mama não apresenta sintomas no início. A partir do momento que começa a ser palpável, pode estar associado a um caroço (nódulo) na mama. Também pode ser representado por áreas de abaulamentos ou retrações de pele, manchas ou alterações na pele da mama e estar ligado com saída de líquido do bico da mama. Nos casos de câncer, geralmente estes líquidos são sanguinolentos.

Dicas:

– Faça o autoexame uma vez por mês;
– A melhor época é logo após a menstruação;
– Para as mulheres que não menstruam mais, o autoexame deve ser feito em um mesmo dia de cada mês, como por exemplo, todo dia 10;
– Observe se com o movimento dos braços aparecem alterações de contorno e de superfície das mamas;
– Deitada, apalpe a mama esquerda com a mão direita e vice-versa;
– Com movimentos circulares suaves vá pressionando levemente a mama com as pontas dos dedos.
– Aperte os mamilos para observar se há saída de secreção;
– Caso verifique alguma anomalia na mama, a primeira atitude deve ser procurar o médico para realizar os exames específicos que irão garantir o diagnóstico exato;
– E lembre-se: a partir dos 40 anos a mamografia deve ser feita regularmente, pelo menos uma vez ao ano.

Saiba mais:

  • Ao contrário do que muitos pensam, a dor mamária é um sintoma comum das mulheres, mas raramente está associada ao câncer de mama. A dor das mamas geralmente possui causas ligadas a alterações hormonais ou emocionais.
  • A prevenção do câncer de mama pode ser dividida em três partes: prevenção primária (tudo aquilo que pode ser feito para evitar a ocorrência do câncer), prevenção secundária (diagnóstico precoce e prevenção da recidiva) e prevenção terciária (medidas para minimizar o impacto da doença já estabelecida, na qualidade de vida das pessoas).
  • O câncer de mama é em parte decorrente de uma série de fatores de risco: idade avançada; predisposição genética hereditária; histórico familiar; menarca precoce; menopausa tardia; radioterapia prévia na região do tórax; mamas densas; obesidade;sedentarismo; alcoolismo; tabagismo e terapia de reposição hormonal (após a menopausa).
  • Os estágios do câncer de mama são formas que os médicos utilizam para identificar o momento da doença do paciente. No caso do câncer de mama são divididos em cinco tipos:
    – Estágio 0: quando a doença esta restrita ao local onde começou (carcinomas in situ)
    – Estágio 1: a doença invadiu a região local, mas possui no máximo 2 cm de tamanho (carcinomas invasivos = tem chance de mandar células para outras partes do corpo)
    – Estágio 2: a doença invadiu a região local, mas possui entre 2 e 5 cm de tamanho e ínguas pouco comprometidas na axila (carcinomas invasivos)
    – Estágio 3: a doença invadiu a região local, mas possui tamanho maior que 5 cm ou ínguas muito comprometidas na axila (carcinomas invasivos)
    – Estágio 4: quando a doença invadiu outras partes do corpo como ossos, pulmões, fígado, entre outros

Texto: Tatiana Brandão e Juliana Marques
Fotos: Kefson Félix