CH

CH

Centro de Humanidades

Docente do CH abre seminário, em CG, com palestra sobre a importância da fonética para o conhecimento e ensino de pronúncia do inglês

27 de setembro de 2018

O Departamento de Letras do Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) realizou, nessa quarta-feira (26), no Auditório III da Central de Integração Acadêmica (CIA), em Campina Grande, o 1º Seminário de Ensino de Pronúncia da Língua Inglesa, que abordou a temática “Articulando ideias, transformando pensamentos em sons”.

Organizado pelo grupo de pesquisa “Fanatics for Phonetics: considerações sobre o ensino da pronúncia de língua inglesa nas escolas públicas” e pelo “Grupo de Estudos em Língua Estrangeira”, o evento contou com mais de 120 alunos inscritos, oriundos da UEPB e da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), que tiveram a oportunidade de participar de palestras, mesas redondas, minicursos e apresentações culturais.

Responsável pela palestra de abertura, Leônidas José da Silva Junior, professor do Campus III da UEPB e pós-doutorando em Fonética Acústica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), discorreu a respeito da “Importância da fonética acústica e articulatória para o conhecimento e ensino de pronúncia do inglês”. Logo em seguida, teve início a mesa redonda “Internacionalização em casa: a experiência do Núcleo de Línguas – Idiomas sem Fronteiras da UEPB”, com os professores Michel Gouveia de Sousa Junior, Elyonara Ferreira Borges e Viviane Alves da Silva.

Para a professora Marta Furtado, uma das organizadoras do Seminário, a possibilidade de fazer viagens de intercâmbios seria benéfica e primordial para os alunos de Letras, no entanto, diante da atual inviabilidade desta opção, o Curso de Letras e o Núcleo de Línguas (NucLi) da UEPB vêm promovendo uma série de ações “em casa”. “Uma vez que não podemos fazer a internacionalização, que seria o ideal, executamos projetos como eventos, palestras, cursos com alunos intercambistas de outros países, além de outras propostas alternativas, tudo para que a gente conheça, através de quem vem de fora, novas culturas e a pronúncia da língua”, explicou a professora, lembrando que a pronúncia talvez seja o ponto mais importante e o mais complicado da aquisição da língua estrangeira, já que as pessoas estão condicionadas à língua materna e é necessário um esforço a mais para falar outro idioma com perfeita pronúncia.

Daniela Nóbrega, coordenadora do curso Letras/Inglês, ressaltou que por mais que o Seminário esteja vinculado à pronúncia em Inglês, ele integra uma temática maior do “Grupo de Pesquisa Formação Docente em Línguas Estrangeiras”, constando a pronúncia como uma das temáticas abordadas no evento. “Os alunos precisam ter consciência de que existem várias vertentes na área de fonética e fonologia que precisam ser estudadas de forma mais consciente e concisa, afinal a conversação é uma das atividades em que os estudantes costumam apresentar mais dificuldades de fala, de produção oral e pronúncia”, alertou Daniela, frisando que o seminário surge como uma oportunidade de compartilhar resultados de pesquisas e conhecimentos.

A mesa de abertura do evento contou com a participação da professora Marta Furtado, do Departamento de Letras; da professora Daniela Gomes de Araújo Nóbrega, coordenadora do Curso de Letras/Inglês; Marta Lúcia de Souza Celino, diretora do Centro de Educação (Ceduc) da UEPB, que representou o reitor Rangel Junior; e o graduando do 5o período de Letras, Hugo D´Leon, que representou os estudantes e o Grupo de Pesquisa Fanatics for Phonetics.

 

 

 

Texto e fotos: Giuliana Rodrigues