CH

CH

Centro de Humanidades

Campus de Guarabira forma 235 novos profissionais nas áreas de Direito, Filosofia, Geografia, História, Letras e Pedagogia

19 de dezembro de 2018

“Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida – ninguém, exceto tu, só tu”. Essa lição do filósofo alemão Friederich Nietzche, proferida pelo Orador Oficial das turmas concluintes do Centro de Humanidades (CH), retratou o sentimento de dever cumprido que tomou conta, nessa terça-feira (18), da cerimônia de Colação de Grau do período letivo 2018.1, realizada na Casa de Recepção Maison D’Mel, em Guarabira. O Campus III da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) colocou à disposição do mercado de trabalho 235 novos profissionais das áreas de Direito, Filosofia, Geografia, História, Letras e Pedagogia.

Presidida pelo reitor Antônio Guedes Rangel Junior, a solenidade foi prestigiada pela diretora do Centro de Humanidades (CH), professora Ivonildes da Silva Fonseca; pelo pró-reitor de Graduação, professor Eli Brandão da Silva; pelo presidente da OAB-Secção Guarabira, o advogado e professor Antônio Teotônio; como também por coordenadores de curso, chefes de departamento e demais professores que compõem o corpo docente do Campus III.

Eleito como paraninfo geral das turmas concluintes, o professor aposentado do Curso de Pedagogia, Geadelande Carolino Delgado, foi conduzido à mesa por uma comissão composta pelas estudantes Ruanny Gonçalves Neri (Direito), Rosiane Ferreira da Silva (História), Sonaley Soares de Lucena (Geografia), Sayure Raissa Cavalcante da Costa (Letras) e Joara Allana de Araújo Hipólito Ribeiro (Pedagogia). Emocionado, o docente relatou que ser paraninfo é a maior distinção que um professor universitário pode receber: “Acredito que tal honraria é fruto de nossa passagem pelo Curso de Pedagogia, no qual tivemos a grata satisfação de lecionar as disciplinas Estatística Aplicada à Educação e Metodologia do Ensino de Matemática”.

Para o professor Geadelande, a educação superior representa uma rede de incentivos que permite aos estudantes adquirirem conhecimento que efetivamente os emancipe. “O Centro de Humanidades tem como objetivo estimular os discentes a compreenderem o mundo a sua volta e, dessa maneira, contribuir para que ambos, aluno e mundo, sejam mudados para melhor”, disse o homenageado, que concluiu seu discurso deixando uma mensagem especial para os formandos: “Nunca baixem a cabeça, porque com persistência e perseverança chega-se ao objetivo pretendido. Todos, em regime de igualdade, devem se conscientizar de que o aprendizado permite abrir novas portas existenciais – o estudo liberta. Não tenham medo de ousar, não tenham medo de ser, façam a diferença, tragam melhores dias para todos nós e para o nosso país, pois o verdadeiro patriotismo é o que concilia a pátria com a humanidade”.

O concluinte Rafael Damião de Lima Silva, do Curso de Letras, fez a leitura do juramento, acompanhado por todos os demais formandos. O Orador Oficial, Gemarques Vieira M. Junior, do Curso de Direito, discorreu sobre como a UEPB foi importante na formação profissional e social de cada um dos que ali estavam para receber o grau acadêmico: “A Universidade nos proporcionou não só conhecimento técnico, mas também momentos de reflexão sobre empatia, sobre o Brasil, o mundo, relações interpessoais e a vida em comunidade, além de fornecer subsídios para acender a vontade de compreender e transformar a sociedade. Foi realmente um tempo inesquecível e de muito aprendizado”. Gemarques também fez um agradecimento especial aos professores e aos pais, destacando que “ninguém vence sozinho”. Ele finalizou suas palavras se dirigindo aos colegas: “Meus amigos e minhas amigas, saibamos cumprir com ética e efetividade os objetivos da nossa Constituição Federal, na busca pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária. Este é um novo tempo. Este é o nosso tempo. Um excelente começo a todos”.

Pautando-se pelos conceitos de bravura, memória e solidariedade, a diretora do CH, professora Ivonildes da Silva Fonseca, salientou: “Em nome do Câmpus III da UEPB, reconhecemos que a finalização dos seus cursos é um ato de bravura, cuja dimensão precisou ser aumentada nos últimos anos. As angústias de todas as naturezas, sobretudo em um momento político nacional conturbado como esse em que estamos vivendo nos obrigaram a ser mais persistentes, esperançosos. Lembrem-se de que vocês são formandos de uma universidade que, seguramente, é uma das mais importantes instituições para o desenvolvimento social do estado da Paraíba. Tenham certeza de que vocês usufruíram de um grande sistema solidário, que é a universidade gratuita e de qualidade. Portanto, devem estar ativos e ativas para que este sistema perdure”.

Ressaltando a relevância da UEPB para a sociedade, a docente ainda frisou as ações acadêmicas desenvolvidas no âmbito da instituição, em especial no CH: “Colocamos à disposição de quem necessite: assistência jurídica, com a atuação do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito; recuperação de documentos de pessoas trabalhadoras, sob a competência do Núcleo de Documentação Histórica; estudos de conteúdos sobre África, a partir do Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-brasileiros e Indígenas e do Coletivo Obike Wakanda; além de uma série de grupos de pesquisa e extensão sobre linguagens, gênero, meio ambiente, jiu-jitsu e ensino. Um pedaço do conjunto da UEPB é aqui exaltado para que se aumente o orgulho de uma instituição que garante o ingresso e a formação profissional de forma gratuita”.

Por sua vez, o pró-reitor de Graduação, professor Eli Brandão, fez referência ao processo educativo como um fator de mudanças e transformações sociais. O reitor da UEPB, professor Rangel Junior, parabenizou os concluintes, frisando a significância da conquista obtida: “Chegar até aqui é, sem dúvidas, um ato de resistência. Estamos vivendo em mundo cheio de amarguras, mas é preciso sair da esfera das reclamações e partir para a ação. Para isso, é fundamental ser portador de uma esperança ativa. Honrem a história da nossa UEPB, sua trajetória de lutas em prol de um ensino de excelência; honrem seus pais, pelo esforço para ver um filho se formar; e honrem a sociedade paraibana, que possibilitou a cada um de vocês estudar em uma universidade pública e de qualidade reconhecida. A celebração de hoje é um ponto de chegada, mas também um ponto de partida, um ciclo que recomeça. Não esqueçam da ética no desempenho de suas atividades. Aprendam a ser tolerantes, pacientes e a lutar pelo nossos direitos.”

Em seguida, houve a conferência do grau acadêmico. Ingra D’avila Leite Lima foi a representante dos concluintes de Direito; Thaís Meire C. Da Silva Santos representou o curso de Geografia; os formandos de História foram representados por Joabson de Sousa Costa; Roniele Marques de Silva  recebeu o grau em nome dos concluintes de Letras; os formandos de Pedagogia foram representados por Nayane Hellen Mamede Guedes.

.

.

.

.

.

 

 

Simone Bezerrill/Ascom-CH

Fotos: Paizinha Lemos