CCHA

CCHA

Centro de Ciências Humanas e Agrárias

Alunos da Escola Agrotécnica do Cajueiro são premiados na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

28 de março de 2017
Clique para exibir o slide.

Se a participação dos alunos da Escola Agrotécnica do Cajueiro, instalada no Câmpus IV da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), localizada na cidade de Catolé do Rocha, na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), apontada como a maior feira de ciências e engenharia da América Latina, já era considerada uma vitória, imagine ser premiado duas vezes após a apresentação do projeto Destilador Solar Robotizado (DSR) no evento. Pois esse é o enredo da história da dupla de estudantes Luiz Dutra e Henrique Diniz, vencedores da categoria “Destaque Federação: melhor trabalho da Paraíba”, e 4º lugar do Brasil na categoria “Engenharia”.

Pela primeira vez classificados para participarem da FEBRACE, realizada entre 20 e 24 de março, em São Paulo, Luiz Dutra e Henrique Diniz, orientados pelo professor Josemir Maia, pelo técnico Poti Cortez e pelo mestrando em Ciências Agrárias, Jeneilson Alves, ainda têm mais um motivo para comemorar. Além das premiações recebidas o trabalho foi um dos 30 selecionados a partir da repercussão que teve na feira para participar da Great Scientific Discoveries, um dos congressos mais importantes do mundo nas áreas de ciências e engenharia, que será realizado no mês de agosto, em Londres, na Inglaterra.

Segundo o professor Josemir Maia, esse resultado foi uma conquista muito importante não só para a UEPB, mas para toda a Paraíba. Segundo ele explicou, a FEBRACE é uma feira que incentiva a pesquisa no Ensino Médio, e isso é muito importante para a formação científica dos alunos. “Essa foi a primeira vez da UEPB nesse evento, e já conquistar um resultado assim nos deixa muito orgulhosos. Isso mostra que o que fazemos aqui é capaz de se destacar em qualquer parte do mundo”, afirmou o professor.

O Destilador Solar Robotizado (DSR) é um projeto que se destaca por causar impacto na dessalinização de água com inserção de processos eletrônicos e robóticos, redução de custos energético e aceleração do processo de produção. O equipamento foi desenvolvido para destilar água usando apenas energia solar. O protótipo é constituído por 4 partes: concentrador, absorvedor, sistema de rastreamento solar e condensadora.

Texto: Givaldo Cavalcanti