CCBSA

CCBSA

Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas

UEPB participa de EXPOTEC com exposição de projetos de pesquisa e extensão, oficinas e palestras em vários eixos temáticos

7 de novembro de 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

O uso da tecnologia a serviço da transparência dos atos governamentais e como aliada no combate à poluição, o cibercrime, a educação ambiental como alternativa para o descarte do lixo na contemporaneidade, esses são alguns dos temas abordados pela Universidade Estadual da Paraíba durante a Expotec 2018 – Feira de Inovação, que ocorre até o dia 10 de novembro, no Centro de Convenções de João Pessoa.

Promovida pela Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), o evento conta com a parceria da UEPB, Governo do Estado da Paraíba, universidades públicas da Paraíba, entre outras instituições, que participam da exposição de projetos de inovação, e integram a programação do evento com 63 palestras e 18 oficinas.

A Agência de Inovação Tecnológica (Inovatec) da UEPB está com um espaço no evento destinado a apresentar os diversos projetos de pequisa e extensão da instituição com a vertente tecnológica. “Estamos participando dessa feira de tecnologia porque é uma oportunidade de apresentar os trabalhos dos nossos pesquisadores e projetos inovadores que desenvolvemos na UEPB. Além disso, essa é uma oportunidade de compartilharmos informações com outras instituições, os alunos podem conviver com outros pesquisadores e agentes de inovação tecnológica, o que só enriquece a formação deles”, avalia a diretora da Inovatec, Simone Lopes.

O curso de Ciências Biológicas do Campus V da UEPB está com um stand na feira destinado a apresentar ao público que visitar a EXPOTEC as plataformas digitais que podem ser utilizadas para monitoramento do ecossistema terrestre: Google Earth, Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Earth Data (Nasa). Por meio destes recursos é possível verificar o clima, qualidade da vegetação, desmatamento, em todo o país.

Também está presente no evento o projeto de extensão “Coleta Seletiva Solidária”, coordenado pela professora Maria de Fátima Araújo, do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas (CCBSA), que além de um local de atendimento na feira, promove a palestra “O desafio do lixo na contemporaneidade: alternativas e soluções para o Brasil” e a oficina de educação ambiental e coleta seletiva solidária, que conta com a participação da gestora ambiental da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (EMPASA), Silvana Alves. O projeto ainda está responsável por gerenciar todos os resíduos produzidos durante o evento, através da parceria com as cooperativas de catadores de resíduos de João Pessoa: Associação de Catadores de Mangabeira, Associação de Catadores do Timbó, Acordo Verde, Astramare e Catajampa, que fazem a seleção dos resíduos, a pesagem e destinam o material para a cadeia produtiva dos catadores, gerando renda para a comunidade atendida pelo projeto da UEPB.

De acordo com a professora Fátima Araújo, apenas na abertura do evento foi gerada uma quantidade de 150 kg de lixo seco. E a equipe do projeto, que reúne mais de 30 discentes de Ciências Biológicas e Relações Internacionais da UEPB, além de dois discentes da UFPB, está acompanhando o trabalho dos catadores e orientando o público presente na EXPOTEC para destinar corretamente o lixo a ser descartado.

O coordenador do curso de Arquivologia do Campus V, professor Henrique França, também ministrou, na manhã desta quarta-feira (7), a palestra “Uso da tecnologia no acompanhamento e fiscalização da gestão pública”. Na oportunidade, o docente discutiu a importância das plataformas e mecanismos de fiscalização da gestão pública, educação e participação política, tais como a “Operação Serenata de Amor”, o “Politize”, o aplicativo ‘Mudamos”, entre outros.

“É importante que o cidadão saiba como pode acompanhar a gestão pública de forma eficiente porque muita gente acompanha pela TV, pelos sites, mas para ir além e ter dados a gente precisa buscar outras fontes, mas, para isso é necessário sair da passividade e tornar-se proativo. Nesse período em que falamos muito sobre fakenews, o conceito de pós-verdade está tão presente, precisamos utilizar o universo tecnológico para nos ajudar. É importante nos tornarmos cidadãos mais ativos nesse processo e buscar informação, checar, acompanhar e fiscalizar” explica o professor Henrique França.

A equipe, ligada ao Projeto de Extensão MUDDE/FARPAS, do Campus da UEPB, está com um espaço no evento destinado a apresentar ao público jogos de tabuleiro voltados à participação cidadão nos encaminhamentos políticos.

No stand da UEPB foi montado o espaço de participação popular que suscita uma reflexão sobre os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas. No local há um questionamento sobre “como podemos ajudar a implementar os objetivos de desenvolvimento sustentável?”. Os visitantes da feira podem responder à questão e afixar as respostas no painel que foi montado. “A ideia é conscientizar a sociedade que nós podemos implementar aqueles objetivos, não precisamos esperar só pelo Governo. Após o evento vamos compilar as sugestões, colocadas de maneira anônima, e vamos elaborar um termo de compromisso para ser encaminhados para a reitoria da UEPB, prefeituras municipais de João Pessoa e Campina Grande, autoridades, para que se comprometam a implementar esses objetivos”, explicou a professora do curso de Relações Internacionais da UEPB, Lucila Vilhena.

A EXPOTEC segue com atividades norteadas pelo tema principal: “Impacto da digitalização na sociedade brasileira” e pelos eixos temáticos: Inclusão Digital, Software Livre, Robótica, Web, Educação, Cultura Pop e Segurança. Além do espaço destinado aos projetos da UEPB, os pesquisadores da instituição ministram palestras e oficinas nesta quinta e sexta, 8 e 9 de novembro, nos turnos da manhã e tarde. A programação completa podem ser acessada do endereço  www.expotec.org.br.

Texto e fotos: Juliana Marques