CCBSA

CCBSA

Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas

Comissão organizadora divulga data da terceira edição do Farpas que em 2019 ocorrerá nos dias 24 e 25 de abril

21 de dezembro de 2018

A comissão organizadora do Festival de Artes e Participação Social (FARPAS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) divulgou as datas em que será realizada a terceira edição do evento, que ocorrerá nos dias 24 e 25 de abril de 2019, nas dependências do Campus V da UEPB. O evento, que é vinculado ao projeto de extensão “Memória, sociedade e cidadania (MUDDE): reflexão para além dos muros acadêmicos”, do curso de Arquivologia, reúne a comunidade acadêmica do Campus V da UEPB e Escola Estadual José Lins do Rêgo para discutir e promover uma reflexão sobre temas de relevância social e política da atualidade.

Segundo o organizador geral do FARPAS, professor Henrique França, em 2019 as atividades serão norteadas pelo tema “FARPAS 2019 – O Festival dos sonhos”, e também haverá ações relacionadas ao “Ano Cultural Jackson do Pandeiro”, instituído pelo Conselho Universitário da UEPB como forma de lembrar o centenário de nascimento do artista paraibano.

“Escolhemos abordar a questão dos sonhos, não como algo fantasioso ou utópico, mas, como metas a serem alcançadas, desafios sociais a serem superados. Sonhamos com uma educação melhor, então o que fazer para buscar alcançar esse sonhos? Temos o desafio do primeiro emprego, desejamos um Brasil melhor. Então nossas atividades serão permeadas por reflexões sobre como atingir esses ideais que buscamos. E, por outro lado, considerando que 2019 será o ano cultural Jackson do Pandeiro, estamos programando algumas atividades ligadas a essa temática”, explica Henrique França.

O organizador geral do evento lembra ainda que está prevista para fevereiro de 2019 a abertura das inscrições para novos colaboradores para atuar nas comissões relacionadas ao evento. Podem participar os discentes dos cursos de graduação e pós-graduação do Campus V e os estudantes da Escola Estadual José Lins do Rêgo.

Texto: Juliana Marques