CCAA

CCAA

Centro de Ciências Agrárias e Ambientais

Complexo Agroindustrial do Câmpus II da UEPB instala engenho e inicia produção de cachaça artesanal

15 de agosto de 2018
Clique para exibir o slide.

Um dos produtos mais famosos do Brejo paraibano, a cachaça de cana-de-açúcar se tornou um dos atrativos para os turistas que chegam à região, principalmente no período de frio. A produção de cachaça de alambique, impulsiona o turismo, aquece a economia e preserva aspectos genuinamente nordestinos. O consumo da bebida tem crescido significativamente nos últimos anos no Brasil e em outros países, sendo a Paraíba responsável por produzir boa parte desse produto.

Sabendo desse potencial, o Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Lagoa Seca, através do seu Complexo Agroindustrial, instalou um engenho e já começou a produzir a cachaça artesanal. A produção, em fase de experimento no engenho, ainda é feita em pequena escala, mas já dá para sentir o sabor do produto oriundo de tecnologia da Instituição. O setor de destilados do Engenho Serra da Borborema entrou em funcionamento graças a uma parceria público privada entre a Escola Agrícola Assis Chateaubriand (EAAC) com a cachaça Serra Limpa, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater) e o engenho Santa Vitória.

Nessa parceria, viabilizada através do coordenador do Complexo Agroindustrial, professor Messias Firmino, os dois engenhos forneceram a matéria-prima necessária para o início das atividades, enquanto a Emater forneceu informações técnicas para elaboração do produto. Para concretizar o projeto, foram plantadas mudas de cana-de-açúcar em uma área de três hectares do CCAA, para uso na produção da cachaça. Os primeiros litros já trazem a marca da Serra da Borborema.

De acordo com o professor José Félix, diretor do Câmpus II da UEPB, o objetivo é ter uma cachaça artesanal de qualidade, que possa criar uma identidade com o Centro de Ciências Agrárias e Ambientais e servir como meio de divulgação dos cursos existentes. O docente ressaltou ainda que está sendo montado um laboratório de controle de qualidade da cachaça, que dará suporte às aulas práticas do curso Técnico de Agroindústria e aos seus respectivos alunos, bem como atenderá as demandas externas por parte dos engenhos existentes na Paraíba e em outros estados. O produto será lançado oficialmente em breve, durante evento no qual os participantes poderão degustar uma típica cachaça artesanal de alambique.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Divulgação

O post Complexo Agroindustrial do Câmpus II da UEPB instala engenho e inicia produção de cachaça artesanal apareceu primeiro em UEPB.